ORAR NO ESPÍRITO

Israel Reis

 

Irmão Hélio, a maioria dos “pentecostais” creem que “ORAR NO ESPÍRITO SANTO” é orar em línguas estranhas (desconhecidas). Nas bíblias de estudos pentecostais (por exemplo, BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE) também esta ensinando assim.

Lendo este artigo do site (
(GotQuestions?org), tive a motivação de compilar esse artigo.

Gostaria de saber se o irmão aprova este artigo, e se pode enviar para o grupo.

ISRAEL

 

ORAR NO ESPÍRITO

. “Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo” (Jd 20 - ACF)

. “Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.18 - ACF)

. “Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto.
Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento” (1Co 14.14-15 – ACF)
 

Compilado Por Israel S. Reis

Introdução
O que é orar no Espírito?
Orar no Espírito é mencionado três vezes na Bíblia. 1 Coríntios 14.15 diz: Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento”

Efésios 6.18 diz: Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos”

Judas 20 diz: Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo

Então, o que significa exatamente orar no Espírito? A palavra grega traduzida “orar em” pode ter vários significados diferentes. Pode significar “por meio de”, “com a ajuda de”, “na esfera de” e “em conexão ao”. Orar no Espírito não se refere às palavras que estamos dizendo. Na verdade, refere-se a como estamos orando. Orar no Espírito é orar de acordo com a liderança do Espírito. É orar por coisas que o Espírito nos leva a mencionar. Romanos 8.26 diz: E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”

Alguns, com base em 1 Coríntios 14.15, igualam orar no Espírito com orar em línguas. Ao discutir o dom de línguas, Paulo menciona “Orarei com o espírito”. 1 Coríntios capítulo 14 declara que quando uma pessoa ora em línguas, ela não sabe o que está dizendo porque está falando em uma língua desconhecida {NOTA HÉLIO 1}. Além disso, ninguém pode entender o que está sendo dito, a menos que haja um intérprete. Em Efésios 6.18, Paulo nos ensina: “com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos” Como podemos orar com toda oração e súplica por todos os santos se ninguém, incluindo o orante [i.é, aquele que está orando], entende o que está sendo dito? Portanto, orar no Espírito deve ser entendido como orar no poder do Espírito, de acordo com a liderança e vontade do Espírito, não como orar em línguas. (GotQuestions?org)
. A verdadeira oração é realizada no Espírito. Orar no Espírito não é falar em outras línguas, ou ter uma experiência de êxtase emocional. Mas, orar no Espírito significa orar conscientemente, em nome de Cristo, capacitado e dirigido pelo Espírito Santo a encontrar a vontade do Pai. Não é uma nova revelação, mas a iluminação espiritual necessária que nos dá o entendimento e convicção da vontade de Deus específica para um assunto.
. O que é necessário para que realmente possamos orar no Espírito? Primeiro, a humildade é indispensável. O próprio EspíritoSanto nunca toma à frente do Pai e do Filho. Ele exalta Cristo e glorifica o Pai, mas em nenhum lugar da Escritura exige glória para Si mesmo. Ele é glorificado pela sua divindade e a Sua participação nas obras da Trindade. Se ele, mesmo sendo Deus, não exalta a Si próprio, então não podemos orar diferente do modo como o Espírito atua. O nosso orgulho faz com a nossa voz soe diferente da intercessão do Espírito!
. Em segundo lugar, para orar no Espírito é necessário que supliquemos por discernimento. Precisamos examinar as intenções do nosso coração, examinar se o que estamos pedindo realmente é algo nascido na motivação de glorificar a Deus. É preciso discernir se não é algo que está comprometido com o erro, e que consequentemente causará escândalo. Se não entendermos o que estamos pedindo, podemos correr o perigo de fazer uma petição tola, imatura e inconsequente. Não podemos abrir a boca ou liberar os pensamentos para solicitar a Deus o primeiro anseio que surge em nosso coração! Precisamos medir, pesar e avaliar se o nosso pedido é digno de ser colocado sobre o santo altar de Deus, e se ele não ofenderá o sacerdócio de Cristo. Deus não atende nenhum pedido que não coopere para o nosso bem, nem que deixe de glorificá-lO ( Rm 8.28).
“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28 – ACF)
.Por último, para orar no Espírito é indispensável que desejemos ser cheios do Espírito. Por causa da grande confusão no meio evangélico este é outro assunto difícil de definir. A plenitude do Espírito é um processo que perdurará [isto é, tem que ser repetido e exercitado, continuado] toda a nossa vida cristã. Ela não ocorre numa única experiência. Ninguém é tão pleno que não necessite mais ser cheio. Quanto mais bebemos do Espírito, mais sede teremos da Sua ação. Então, a crucial questão é como ser cheio do Espírito? A resposta inicia, no fato de precisarmos amadurecer o fruto do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei” (Gl 5.22-23 - ACF)
Somos enchidos conforme o fruto amadurece em nós! Somos dominados pelo Espírito e não pela carnalidade (Gl 5.16-21; Ef 5.18-19). Ser cheio do Espírito é quando o Espírito de Deus domina todas áreas da nossa vida com a Sua Palavra, nos quebrantando com a Sua poderosa presença, convencendo-nos profundamente dos nossos pecados, amadurecendo em nós o Seu fruto, e conduzindo-nos para a dependência na suficiência de Cristo, para a exclusiva glória do Pai.
. A oração feita no Espírito não é um privilégio a disposição somente de alguns. Todos os salvos podem e devem aprender a orar no Espírito. Todos estes têm dons do Espírito. Pelo Espírito Santo cada crente é batizado no Corpo de Cristo e todos são capacitados a orar, uma vez que todos são sacerdotes no Reino de Deus cf. (1Co 12.12-13; 1Pe 2.9). Em Cristo, todos têm livre acesso ao trono da graça. Todos os verdadeiros salvos têm a habitação pactual do Espírito, que intercede eficazmente e apresenta a nossa necessidade diante do Pai cf. (Rm 8.27).  Se a tua oração não for no Espírito, então ela não é orada pelo Espírito, nem aceita pelo Pai.
 

CONCLUSÃO

 
Orar no ‹‹Espírito Santo›› é depender do ‹‹Espírito›› para que ele guie as nossas orações de acordo com a vontade e o propósito de Deus. Significa ‹‹depender›› dos dons e do poder do ‹‹Espírito›› [dados a todos os salvos, no instante de sua salvação]para orar eficazmente e com fé. Quando submetemos o coração e a mente à direção e ao controle do ‹‹Espírito Santo››, e depois oramos no Seu poder, estamos orando ‹‹no Espírito››.

Aplicação Pessoal: Orar ‹‹no Espírito Santo›› é orar no poder e na força do ‹‹Espírito Santo››. Ele intercede por nós, abre nossa mente para entendermos tudo o que Jesus nos ensinou (Jo 14.26), e nos ensina a respeito dEle ‹‹Jesus›› cf. (Jo 15.26).

“E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos” (Rm 8.26-27 – ACF)





Israel Reis
adaptado de I Got Questions


*********************************************



NOTA HÉLIO 1: 1Co 14:14 “O meu entendimento fica sem gerar fruto”: A teoria que os 83 apóstolos e discípulos, por obra divina, falavam com perfeição em idiomas humanos que nunca tinham aprendido mas, às vezes, não entendiam nada que falavam e não colhiam entendimento e frutos nem mesmo para si próprios, é muito estranha ao bom senso e ao restante da Bíblia. É melhor que interpretemos esta sentença como a afirmação que o meu entendimento, expresso em oração noutro idioma humano (que estudei e aprendi), não produz fruto na vida dos que ouvem mas que não entendem nenhuma palavra daquele idioma, exceto se alguém, conhecedor desse idioma, traduza o que eu for falando em oração a Deus.

 

 

 


 

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).

(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)

 

(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Seitas/
http://solascriptura-tt.org/Seitas/Romanismo/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )