Sete razões para participar de uma Escola Dominical




A Escola Bíblica Dominical —a maior Escola do Mundo, tem sido a principal responsável pela formação ministerial dos obreiros e obreiras em nossas igrejas.

Prosseguir em conhecer ao Senhor é um imperativo dirigido a todos os crentes, porém muitos não têm descoberto o maravilhoso motivo desta ordem divina, e não desfrutam das riquezas e tesouros nos oferecidos por Deus através da sua palavra.

Como uma forma de encorajamento e estímulo aos mestres e alunos, a seguir estarão sendo apresentadas sete razões para estarmos participando com freqüência de uma das poucas oportunidades, que nos sobrou neste mundo ocupado, de aprendermos a Palavra de Deus, que é a Escola Bíblica Dominical:


1 - POR AMARMOS A JESUS. Jesus disse: "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama." (Jo 14.21)

O amor é o maior dos mandamentos. O apóstolo Paulo, no capítulo treze de sua primeira Carta aos crentes de Corinto, explica este sentimento na sua plenitude. Que lindo e sublime é o amor !!!

Certamente ninguém que professe a fé cristã diria que não ama o Senhor Jesus. As pessoas possuem meios muito variados de demonstrar o amor que sentem pelos outros. Quando queremos agradar a alguém a quem dispensamos consideração, respeito, reverência, a primeira coisa que fazemos é procurar saber das coisas que esta pessoa gosta. E assim já podemos começar a demonstrar nossos sentimentos, conferindo à pessoa amada coisas e situações que lhe agradam. Muitas pessoas gostam de receber bombons no dia de seu aniversário, outras já não resistem ao encanto de um buquê de rosas, outras gostam de ser elogiadas em público. Cada pessoa amada espera receber declarações e gestos acompanhados de genuína prova deste sentimento. A cópia de um documento não pode representar o documento oficial se não for autenticada por um Oficial de Justiça. Assim, todas as nossas declarações devem ser confirmadas tanto em palavras como através de nossos atos.

Exemplo incomparável na demonstração deste sublime sentimento, que é o amor, nos deu nosso Pai celestial. Em Jo 3.16 a Bíblia diz que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Único... Como vimos, Deus não somente amou, mas demonstrou esse amor através da atitude de nos enviar Seu único Filho para morrer em nosso lugar. Deus sabia que nós necessitávamos de salvação, e ele poderia ter nos deixado comer da Árvore da Vida que estava no Jardim, mas isso seria para nós uma catástrofe, sem que antes Deus nos tivesse proporcionado a reconciliação consigo através do sacrifício do Cordeiro Pascal. A Bíblia diz que Deus prova seu amor para conosco pelo fato de nos ter enviado seu Filho Jesus, sendo nós ainda pecadores.

Jesus tem suas preferências e não as deixou ocultas, mas nos revelou. E uma das maiores alegrias de Jesus é saber que seus filhos têm e guardam seus mandamentos. O Apóstolo João no versículo quatro de sua terceira carta também diz que ele não tem maior alegria do que ouvir que os seus filhos andam na verdade. E se de coração amamos a Jesus, certo é que nossa primeira ocupação é procurar conhecer os mandamentos de Jesus para que possamos guardá-los, pois Jesus reconhece aqueles que o amam através da obediência aos seus mandamentos.

Compra-se remédios nas drogarias; carne, nos açougues; dinheiro a gente pega no banco. Cada coisa tem o seu ponto de origem, e a Palavra de Deus não é diferente. Nós tomamos posse dos mandamentos e ensinos de Deus na Bíblia Sagrada, nos cultos de doutrina, na Escola Bíblica Dominical... São nestas ocasiões que Deus nos revela sua vontade através de seus ministros. E se nós desprezarmos estas oportunidades ou até mesmos relegá-las a um plano inferior em nosso sistema de valores, não teremos conhecimento das preferências de Jesus para que nós possamos amá-lo.

A Palavra de Deus é tão preciosa que Jesus nos recomendou que a guardássemos, para que não viéssemos a perdê-la, para que não fosse roubada, contaminada ou deteriorada. Nós podemos expressar nosso amor por Jesus de várias maneiras: através dos cânticos, de poemas, de nossa conduta... mas se eu não procurar conhecer, possuir e praticar seus mandamentos, estarei propenso a entrar pelo vergonhoso caminho da hipocrisia. Os adesivos no carro, na camisa, no boné, nos chaveiros, todos são formas de demonstrar nosso amor a Jesus; os instrumentos que tocamos, também; os hinos que cantamos, da mesma forma. Mas se estas demonstrações não estiverem acompanhadas pela obediência à sua palavra, será o mesmo que alguém oferecer, à vista de todos solenemente, um presente com rótulo diferente do conteúdo. No momento da oferta tudo é muito bonito e até admirável, mas quando o presente é aberto, é a maior decepção. É bom termos cuidado para não decepcionarmos a Jesus.

Às vezes precisamos rever nossos valores para sabermos se o que procuramos fazer para Jesus é a forma correta de demonstrar o nosso amor para com ele. Nós devemos amar nosso próximo, respeitando-o; amar as almas perdidas, evangelizando-as; amar a obra de Deus, trabalhando nela. Mas acima de tudo devemos amar a Jesus, conhecendo e guardando os seus mandamentos (Jo 14.21).


2 - PARA NÃO ERRARMOS. Jesus disse: "Errais não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus." (Mt 22.29)

Não é necessário nem comentar acerca das grossas fileiras de pessoas hoje que caminham para o abismo por aderirem a movimentos, seitas e superstições por causa da falta de conhecimento bíblico.

Naquela ocasião de Mt 22.29, um grupo religioso, os Saduceus, que dizia não haver ressurreição, perguntava a Jesus a respeito de uma mulher que teve vários maridos nesta vida, e qual seria seu marido na vida futura. Nosso Senhor Jesus repreendeu-os não somente por não conhecerem as Escrituras, mas também por não conhecerem o poder de Deus.

A falta de conhecimento bíblico leva o homem a achar que está nesta terra tudo o que de melhor Deus preparou para o homem.

Seguindo a linha de raciocínio dos Saduceus, eles não aguardavam receber de Deus uma outra vida melhor do que esta. Eles estavam tão apegados e satisfeitos com esta terra e seus benefícios, como o casamento, que queriam levar para seu suposto céu as normas e limitações desta vida. Na visão terrena destes, Deus seria Deus de mortos, visto que Abraão já tinha morrido. Todas as suas alusões acerca do que se poderia existir no céu, estavam limitadas pelos fatos e circunstâncias existenciais que dizem respeito somente a esta vida. Ao que Jesus respondeu que Deus não é Deus de mortos, mas de vivos. Abraão está vivo para Deus como todo aquele que crê em Deus, mas para os Saduceus, Abraão tinha sido somente um grande patriarca fiel a Deus, e que jazia em seu túmulo sem esperanças melhores futuras.

Se desprezarmos o exame das Escrituras Sagradas estaremos incorrendo no erro de nos apegarmos a conceitos e doutrinas erradas acerca do Reino de Deus. É provável que os Saduceus não tinham o costume de ler as Escrituras, por causa da repreensão de Jesus.

Um outro erro também combatido por Jesus é o fato de esta seita não conhecer o poder de Deus. Isso quer dizer que o conhecimento somente intelectual das Escrituras não transforma a velha natureza do homem. O que de Deus ouvimos, ouvimos do Seu Espírito para o nosso espírito, e assim lemos e entendemos Sua palavra pelo poder revelador do seu Espírito Santo. Eu sei, por exemplo, que Deus criou os céus e a terra, e aceito esta verdade, através da fé que Jesus me deu, e não por um assentimento da minha mente que acha que somente um Ser poderoso como Deus poderia ter criado coisas tão tremendas que vão além da capacidade inteligente do homem.

Todos os homens e mulheres de Deus partiram desta terra na esperança da vida futura perfeita segundo a promessa de Deus. E quanto mais nós estudamos a Bíblia, submissos à revelação do Espírito de Deus, aumenta em nós a cada dia a prova de que Ele é mais poderoso, é mais perfeito, é mais exigente, é mais amoroso, é mais fiel, é mais misericordioso... do que quando no início cremos.


3 - PARA SERMOS LIMPOS. Jesus disse: "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado." (Jo 15.3)

A limpeza é o requisito número 1 de tudo o que vamos fazer. Se nós ganhamos, por exemplo, uma roupa usada, nossa primeira preocupação é proceder na sua lavagem, para depois, e somente depois, usá-la. Nossa casa, nossa roupa, nossos objetos, tudo o que possuímos pode não ser assim formoso à vista, luxuoso, mas uma coisa é necessário: tudo deve ser limpo.

Nada pode ser utilizado sem que antes seja limpo: a louça do almoço precisa ser limpa para ser utilizada no jantar; a roupa que trocamos precisa ser lavada para ser novamente vestida, os instrumentos cirúrgicos precisam ser limpos e novamente esterilizados para a próxima cirurgia... Como é notado, a limpeza é o carro-chefe de todo trabalho bem sucedido.

O Salmo 40 nos fala da lama que a mão poderosa do Senhor nos tirou, e é coerente que passemos por um processo de limpeza e purificação para que nos aproximemos de Deus e lhe sejamos úteis em nossa nova vida. Imagine-se você estando numa praça, e de repente chega um carro muito luxuoso. O motorista pára o carro, e dele sai um rico e amoroso casal que apanha e leva para o seu carro uma destas crianças de rua. A primeira situação que nos vem à mente é aquela criança chegando a casa do casal e sendo conduzida a um rigoroso banho. Servem-lhe uma deliciosa refeição. Tomam todos os cuidados para que ela não volte à vida passada. Providenciam-lhe receber instruções sobre o seu novo modo de viver, e tudo isso passa a ser feito de forma habitual.

Assim mesmo Jesus faz conosco. É impossível permanecermos na presença de Deus sem nos deixarmos limpar diariamente pela palavra de Deus.

O Senhor Jesus nos fala a respeito da videira. Ele é o tronco, e nós os ramos. Os ramos que produzem frutos precisam ser limpos para que dêem mais frutos. Assim o primeiro requisito para sermos usados por Deus é deixarmos nos limpar. E esta limpeza é nos proporcionada pela palavra de Deus.


4 - PARA APRENDERMOS. Jesus disse: "Aprendei de mim." (Mt 11.29)

No capítulo 11 de Ma teus, Jesus nos faz uma série de chamados, e um deles é que nós aprendamos dele. Termos conceitos e pensamentos corretos a respeito da pessoa e obra de Jesus vai nos ajudar muito a proteger-nos das heresias proliferadas neste mundo mau e desviado da verdade. Aprendemos acerca de Jesus de várias maneiras, mas a principal delas é através da Bíblia Sagrada. Existem publicações incontáveis disponíveis no mercado ensinando sobre todos os aspectos da vida cristã, mas a pesquisa da literatura evangélica nunca deve prescindir do exame acompanhado das Escrituras Sagradas.

É constrange dor alguém nos pedir e não sabermos responder por que razão vamos morar no céu, ou qual é o fundamento de nossa esperança, ou qual é a razão da nossa fé. Aprender de Jesus é uma necessidade de todo o crente que deseja alcançar a glória eterna. Jesus nos manda que aprendamos dele para que o foco de nossa atenção repouse sobre ele. Jesus também quer nos mostrar que precisamos aprender dia a dia; nos aperfeiçoarmos, até chegarmos à estatura de varão perfeito. Há crentes que se aplicam ao estudo de muitos assuntos sem nem ao menos conhecer um pouco sobre o ministério de Jesus, sua vida, sua obra, morte e ressurreição. Quantos são os que vêem Jesus não mais do que um homem que viveu há uns dois mil anos atrás, fazendo milagres, com seu poder reservado somente para aquela época, e já não crêem na atualidade de suas promessas, na atualidade dos dons espirituais, vivem relembrando a época da igreja de Atos, esquecendo-se de que o Espírito que estava e operava maravilhas através dos apóstolos é o mesmo que age sobre mim, sobre você, sobre nós.

Precisamos aprender de Jesus porque as demais fontes se esgotam, mas Jesus é fonte inesgotável de conhecimento. Cada vez que lemos o mesmo versículo na Bíblia, o Espírito Santo tem para nós uma mensagem, uma revelação para nosso crescimento espiritual, para a edificação da igreja, para o conforto dos aflitos, para a salvação dos pecadores.

Muitos são os ministérios fracassados porque já não colocam mais Jesus como o tema principal. É possível hoje ouvir horas de pregação sem que o nome de Jesus seja citado sequer uma única vez; quando Jesus nos diz: aprendei de mim.

O próprio Deus nos ordenou aprendermos e ouvirmos a Jesus. Na transfiguração do monte (Mt 17.1-8), enquanto o apóstolo Pedro se perdia em palavras e providências desnecessárias, duma nuvem a voz do Senhor soou imperativa: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo: a ele ouvi."

Precisamos saber se o que temos aprendido, diz respeito a Jesus. Há muitos dizendo conhecerem a fundo as coisas de Deus sem conhecerem o Filho. Jesus disse que ninguém vai ao Pai se não for por ele. Sendo assim, qualquer revelação fora da pessoa de Cristo, é duvidosa e não digna de aceitação. Jesus é o nosso grande mestre.


5 - PARA SERMOS SANTOS. Jesus orou: "Santifica-os na verdade. A tua palavra é a verdade." (Jo 17.17)

Um dos atributos morais de Deus é a santidade. E ela é para nós uma exigência porque o propósito de Deus é que seus filhos andem em santidade. Para Abraão Deus disse: Sê perfeito e anda na minha presença (Gn 17.1); para Josué Deus disse: Tenhas o cuidado de fazer segundo a tudo quanto está escrito no livro da lei (Js 1.8); Pelo apóstolo Pedro, Deus determina: Sede santos porque eu sou santo (1 Pe 1.16). A santidade, que significa separado do pecado, sempre foi em todas as dispensações uma exigência divina ao homem. Se queremos ver a Deus devemos ser santos: "Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá ao Senhor." manda-nos a palavra de Deus.

Esta santificação não começa em nós mesmos, e também não é produzida pelo auto esforço. Este processo de santificação tem sua razão e fundamento na palavra de Deus. O próprio Deus, através do poder da sua palavra, produz em nós a santidade impossível de produzirmos por nós mesmos. A graça de Deus produz em nós a santidade que agrada a Deus.

Não devemos incorrer no erro de acharmos que Deus irá aceitar nossos padrões morais de comportamento como o modelo de santidade que Ele exige. Por mais rigorosos que possamos achar que estamos sendo para com Deus, o conceito moral de Deus estará sempre muito além dos nossos padrões. Por outro lado não devemos achar impossível viver a santidade que Jesus nos exige. Jesus nunca exigiu nada do homem que ele não pudesse realizar. E se Jesus nos diz: Sede santos, é porque é perfeitamente possível sermos santos como Jesus nos manda. E isso nós conseguimos através da obediência à sua palavra.

Deus nos santifica para que também permaneçamos e andemos em santidade. Jesus virá para buscar um povo santo. Santo porque este povo está separado do mundo, das suas sujeiras e injustiças. Está no mundo, mas não pertence ao mundo. Jesus virá buscar o que é seu, e tudo o que é de Jesus, é santo, como ele é. Para sermos santos, precisamos andar na verdade, e a verdade é a palavra de Deus.


6 - PARA SERMOS AMIGOS DE JESUS. Jesus disse: "Vós sereis meus amigos se fizerdes o que eu vos mando." (Jo 15.14)

Um dos maiores privilégios do Reino dos céus é sermos chamados amigos de Jesus. O amigo é mais do que servo, porque como disse nosso Senhor Jesus, o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas Jesus tem nos revelado os segredos que ele ouviu do Pai.

Mas para ser amigo de Jesus é preciso cumprir algumas exigências. E uma delas é fazer o que Jesus manda. Como poderemos ser chamados amigos de Jesus se não soubermos o que ele nos manda fazer? Para isso, novamente precisamos buscar na Palavra de Deus as vontades de Jesus. Mas não é somente conhecer a vontade de Jesus, é cumprir os seus mandamentos. Muitos ouvem a palavra de Deus até com muita reverência e receptividade, mas não a põe em prática. Muitos guardam e decoram os versículos de promessas da Bíblia, mas desprezam aqueles que requerem renúncia e sacrifício para cumpri-los.

Quanto mais conhecemos acerca de uma pessoa, mais esta pessoa se torna íntima para nós. É este relacionamento de intimidade, de amigos, que Jesus quer estabelecer conosco. Os amigos sempre estão juntos e são fiéis em todas as situações. Os amigos não abandonam. Jesus é o nosso verdadeiro amigo. Mas para valorizarmos esta amizade, precisamos a cada dia perguntar a Jesus acerca do Pai, porque muitas coisas Deus revelou ao seu Filho, e Jesus terá o imenso prazer de nos fazer participantes dos segredos de Deus. Não é maravilhoso? Não somos somente servos, somos amigos. E esta amizade é cultivada através do estudo da palavra de Deus. Porque para nós fazermos o que Jesus nos manda, precisamos conhecer a sua vontade através da sua palavra.


7 - PARA SERMOS BEM AVENTURADOS. Jesus garantiu: "Bem aventurados os que lêem, ouvem e guardam a sua palavra." (Ap 1.3)

A bondade do nosso Deus é de fato assustadora, não tem fim. Não bastasse a tão grande salvação nos concedida sem mérito algum, na pessoa de nosso Senhor Jesus, ele ainda anuncia que há reservados para nós tesouros nos céus. As bem aventuranças proferidas por Jesus na terra, agora continuam na revelação ao apóstolo João no Apocalipse. Mas desta vez o alvo desta bem aventurança diz respeito exclusivo aos que preenchem três requisitos anunciados pelo Senhor. São três. E não são para serem cumpridos separadamente. De nada me adiantará ler a palavra, e não começar a praticá-la. E de nada me adiantará começar praticá-la e, desistindo, voltar atrás. A palavra de Deus precisa ser lida, analisada, precisa ser crida, valorizada, explicada, precisa ser anunciada, pregada, proclamada. Precisamos tomar posse da palavra de Deus.

O tempo está próximo, e perto está o dia do Senhor chamar à recompensa àqueles que amaram a sua palavra, até mesmo mais do que a sua própria vida.

Muitos são os que não vão a lugar algum, estão perdidos e sem esperança, porque muitas coisas em Deus os atrai, menos a sua palavra. São multidões atrás de Jesus, aguardando a multiplicação dos pães, uma cura, uma libertação, apertando Jesus, com amor interesseiro e egoísta. Quantos no átrio do Senhor sem desejo de passar ao menos pela bacia de bronze, a purificação pela água, que é a palavra de Deus.

Bem aventurados são os que buscam conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor. Não estacionam do lado de fora, no átrio, mas prosseguem até o mais íntimo de Deus, o Santo dos Santos. Bem aventurados os que lêem, porque muitos são os desviados que deram ouvidos a doutrinas erradas que nunca procuraram confirmar na Bíblia. Bem aventurados os que ouvem, porque muitos são os abatidos no campo de batalha por não aceitarem o conselho dos ministros de Deus, dos anciãos. Bem aventurados os que guardam, porque também muitos já se perderam não valorizando a preciosidade e a riqueza da palavra de Deus.

Todo o que diz amar a Deus, deve igualmente reverenciar e amar a palavra do Senhor. Que bom quando podemos dizer como o salmista: Folgo na tua palavra como quem acha grande despojo.


Se depois destas sete razões apresentadas, ainda assim nós permanecermos insensíveis ao chamado de Jesus para o aprendizado, nós estaremos diante de sete conclusões sérias e preocupantes:

1 - Nós não teremos os mandamentos de Jesus e não poderemos guardá-los porque não os teremos buscado, e conseqüentemente não poderemos saber como amar a Jesus.

2 - Continuaremos errando como os Saduceus não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus.

3 - Continuaremos sujos porque não estaremos nos deixando limpar pelo poder alvejante da palavra de Deus.

4 - Estaremos buscando várias formas de conhecimentos mas estaremos desprezando a verdadeira fonte de conhecimento, que é Jesus.

5 - Poderemos estar incorrendo no erro de buscarmos meios errados de santificação, desconhecendo que somos santificados pela palavra de Deus.

6 - Não poderemos dizer que somos amigos de Jesus porque não estaremos buscando saber o que Jesus quer que nós façamos, e assim não poderemos fazer o que Ele manda. Quem não faz o que Jesus manda não pode ser amigo de Jesus.

7 - Nós não seremos bem aventurados porque não buscamos ouvir, nem ler, nem guardar a palavra de Deus. E também não poderemos esconder a palavra de Deus em nosso coração (Sl 119.11), porque ninguém pode guardar ou conservar em si mesmo aquilo que não possui.


O Deus e Pai de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, pela Sua graça, nos fortaleça. Amém.

Por Wanderlei C. da Silva



Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ EclesiologiaEBatistas/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )